quarta-feira, 28 de março de 2012

Venha se manifestar contra a privataria da Cultura!

Ato acontece no dia 3 de abril, terça-feira, no Sindicato dos Engenheiros de São Paulo. Entidades denunciam desmonte geral da rádio e TV Cultura, defendem retomada de programas extintos, democratização do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, pluralismo, diversidade na programação e uma política transparente e democrática para abertura à programação independente.
As rádios e a TV Cultura de São Paulo se consolidaram historicamente como uma alternativa aos meios de comunicação privados. As rádios AM e FM ficaram conhecidas pela excelente programação de música popular brasileira e de música clássica. A televisão criou alguns dos principais programas de debates de temas nacionais, como o Roda Viva e o Opinião Nacional, e constituiu núcleos de referência na produção de programas infantis e na de musicais, como o Ensaio e o Viola, Minha Viola. As emissoras tornaram-se, apesar dos percalços, um patrimônio da população paulista.

Contudo, nos últimos anos, a TV e as rádios Cultura estão passando por um processo de desmonte e privatização, com a degradação de seu caráter público. Esse e outros fatos se destacam:

- mais de mil demissões, entre contratados e prestadores de serviço (PJs);

- extinção de programas (Zoom, Grandes Momentos do Esporte, Vitrine, Cultura Retrô, Login) e tentativa de extinção do Manos e Minas;

- demissão da equipe do Entrelinhas e extinção do programa, sem garantias de que ele seja quadro fixo do Metrópolis;

- aniquilação das equipes da Rádio Cultura e estrangulamento da equipe de jornalismo;

- enfraquecimento da produção própria de conteúdo, inclusive dos infantis;

- entrega, sem critérios públicos, de horários na programação para meios de comunicação privados, como a Folha de S.Paulo;

- cancelamento de contratos de prestação de serviços (TV Justiça, Assembleia e outros);

- doação da pinacoteca e biblioteca;

- sucateamento da cenografia, da marcenaria, de maquinaria e efeitos, além do setor de transportes.

Pela sua composição e formato de indicação, o Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta não tem a independência necessária para defender a Cultura das ações predatórias vindas de sua própria presidência. Mesmo que tivesse, sobre alguns desses pontos o Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta sequer foi consultado.

Não podemos deixar esse patrimônio do povo de São Paulo ser dilapidado, vítima de sucateamento promovido por sucessivas gestões sem compromisso com o interesse público, seriamente agravado na gestão Sayad.

Nesse momento, é preciso afirmar seu caráter público e lutar pelos seguintes pontos:

- Contra o desmonte geral da rádio e TV Cultura e pela retomada dos programas.

- Em defesa do pluralismo e da diversidade na programação.

- Por uma política transparente e democrática para abertura à programação independente, com realização de pitchings e editais.

- Pela democratização do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta

ATO CONTRA A PRIVATARIA DA CULTURA

3 de abril, terça-feira, às 19h

Sindicato dos Engenheiros de São Paulo

Rua Genebra, 25 – Centro (ao lado da Câmara Municipal)

Gilberto Maringoni
Hamilton Octavio de Souza
Ivana Jinkings
Joaquim Palhares – Carta Maior
Laurindo Lalo Leal Filho
Luiz Carlos Azenha – blog Vi o Mundo
Luiz Gonzaga Belluzzo
Renato Rovai – Revista Fórum e Presidente da Altercom
Rodrigo Vianna – blog Escrevinhador
Wagner Nabuco – Revista Caros Amigos
Emir Sader
Flávio Aguiar

Altercom - Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação
Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé

CUT – Central Única dos Trabalhadores

Frente Paulista pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação

Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social

terça-feira, 27 de março de 2012

Grupo realiza protestos contra torturadores em várias cidades

O Levante Popular da Juventude realizou manifestações em várias capitais brasileiras na frente de residências e locais de trabalho de ex-militares e policiais acusados da prática de tortura durante a ditadura. Em São Paulo, protesto ocorreu em frente à empresa do delegado aposentado David dos Santos de Araújo, acusado pelo Ministério Público Federal de participar de torturas e assassinatos.

São Paulo - Às vésperas da data que marca os 48 anos do golpe militar no Brasil, um grupo de jovens iniciou nesta segunda-feira (26) uma série de ações que buscam dar visibilidade à impunidade de torturadores e acusados de outros crimes durante a ditadura ainda vivos. O Levante Popular da Juventude realizou "escrachos" em algumas capitais do país, como forma de denunciar os acusados desses crimes na frente de suas casas ou empresas.

O pano de fundo das manifestações é o início dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade, que ainda não foi instaurada pela presidenta Dilma Roussef (PT). Além de recentes pronunciamentos do Clube Militar contrários à comissão, os militares ensaiam realizar diversas “comemorações”, o que acirra mais o embate.

Na capital paulista, cerca de 150 jovens, que apoiam a Comissão e pedem julgamento dos torturadores, se concentraram na frente da empresa de segurança Dacala, na avenida Vereador José Diniz. O dono é o delegado aposentado David dos Santos de Araújo, acusado pelo Ministério Público Federal de participar de torturas e assassinatos.

O “Capitão Lisboa”, como era conhecido, é acusado de ser um dos torturadores do Doi-Codi. O panfleto distribuído no ato afirma que David também é conhecido pelos estupros de filhos de pessoas que assassinou durante a ditadura civil-militar. E estampa as logomarcas da Anhanguera Educacional, Banco Safra, Banco Itaú, Jac Motors e Ford, empresas que são clientes de sua empresa de segurança.

Os 70 jovens participantes do ato em Porto Alegre foram à frente da residência do coronel Carlos Alberto Ponzi, na rua Casemiro de Abreu, 619. O ex-chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI) em Porto Alegre é acusado pela justiça italiana pelo desaparecimento do militante Lorenzo Ismael Viñas, capturado ao tentar atravessar a ponte que liga Uruguaiana à Paso de Los Libres (Argentina), em 26 de junho de 1980, durante a Operação Condor. O crime foi cometido depois da assinatura da Lei de Anistia, feita em 1979.

Em Belo Horizonte o grupo denunciou Ariovaldo da Hora e Silva, em sua residência na rua Biagio Polizzi, 240. Ele é acusado de torturar Afonso Celso Lana Leite, Cecílio Emigdio Saturnino, Jaime de Almeida, Nilo Sérgio Menezes Macedo e outros, quando era investigador da Polícia Federal. Segundo o livro Brasil Nunca Mais, Ariovaldo também é responsável pela morte de João Lucas Alves.

Adriano Bessa, acusado de ser um delator e prestador de serviços durante o período militar, foi o alvo dos 80 manifestantes em Belém do Pará. O Levante Popular da Juventude também realizou escrachos na Bahia e no Ceará.

“Comemorações”
Os militares, aposentados ou não, realizarão uma série de atividades que remetem ao golpe de estado. O Círculo Militar de Campinas realizará um lançamento do livro “Médici – a verdadeira história”, com a presença do filho do ex-presidente ditador Emílio Garrastazu Médici. A atividade é organizada em parceria com o Grupo Inconfidentes, uma organização saudosista de militares.

Em São Paulo, o Círculo Militar organizará uma festa no dia 31, chamada “Viagem no túnel do tempo”. O Clube Militar do Rio de Janeiro organiza o evento “1964 – A Verdade”, no dia 29.

Organizações de esquerda pretendem organizar ações de contraponto a essas. Uma delas é o bem humorado Cordão da Mentira, que se concentrará no dia 1° de abril, às 11h30, no Cemitério da Consolação. “Povoemos os porões do imaginário, com tudo aquilo que a ditadura encarcerou na sua cultura! Levemos pra lá o samba dos cordões, as imagens censuradas, as bocas amordaçadas. Fantasiemos as ruas com seus símbolos de opressão! Enganemos a todos com as farsas de nossa história!”, diz o manifesto que convoca o batuque.


Fotos: Protesto realizado em frente à casa do ex-chefe do SNI em Porto Alegre (Foto: Leandro Silva)

sexta-feira, 23 de março de 2012

Sarau Fulinaimagem - Artur Gomes


com um repertório variado que vai de Fernando Pessoa a Torquato Neto, passando por Paulo Leminski, Drummond, Ademir Assunção, Affonso Romano de Santanna e Ferreira Gullar,  Artur Gomes comanda no próximo sábado dia 31 de março das 20:00 às 23:00hs o Sarau Fulinaimagem na Creperia & Drinkeria ZOOM IN – Av Sernambetiba,  - Barra da Tijuca -  Rio de Janeiro. Você é nosso convidado. 

Endereço: Av. Sernambetiba/Lucio Costa ao lado do Posto 7 altura do número 5.200 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro

 
 
Fulinaimagem
 
1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis copacabana
procuro um mix da guitarra de santana
com os espinhos da rosa de Noel
 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Gente fina é outra coisa... Elis Regina



     
Considerada pelos críticos como uma das vozes mais viscerais da MPB Elis Regina será homenageada pela cantora Maria Fernanda no show “Gente fina é outra coisa...”, no ano que marca os 30 anos de seu falecimento.

O espetáculo acontece nesta quinta 22, às 20h, no Teatro do Sesc Campos. A entrada é franca.
        No compasso de “Gente fina é outra coisa... Elis Regina” Maria Fernanda & Cia apresentam com novas roupagens os grandes sucessos interpretados pela eterna Elis Regina. A apresentação tem no repertório canções de compositores eleitos por Elis. Entre eles Edu Lobo, Chico Buarque, João Bosco, Ivan Lins e Gilberto Gil.

– É com grande prazer que trago para o Sesc Campos este trabalho que reverencia a grandiosidade desta interprete maior da música brasileira. Elis foi, e, é um ser inexplicável em minha concepção cultural. Sua arte transcende a movimentos, estilos e afixa em nossos corações como o reflexo do talento puro e nato. Venham reviver o melhor de Elis Regina – convida Maria Fernanda.

Banda
“Gente fina é outra coisa... Elis Regina” tem como protagonistas a intérprete Maria Fernanda, o pianista e diretor musical Márcio Leal, o baixista Marcelo Silva e o baterista Gilberto Marinho.

terça-feira, 20 de março de 2012

com os dentes cravados na memória


Fulinaimagem

1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis Copacabana
procuro um mix da guitarra de Santana
com os espinhos da Rosa de Noel

artur gomes

segunda-feira, 12 de março de 2012

1° Festival Nacional de Cinema do IFF


Filmes selecionados Para Mostras Competitivas

Censura – Direção: Fabrício Mira – Campos dos Goytacazes
Aline na Ilha de Nexus – Direção: Alexandro Florentino – Campos dos Goytacazes
A Garrafa Mensageira – Direção: Luana Nascimento – Campos dos Goytacazes
A Vida Por Si Própria – Direção: Reynaldo Machado – estudante do IFF Campus Campos Centro – São Fidélis
Ditabranda – Direção: Felipe Vianna – Rio de Janeiro
Guarani Mbyá – Direção Wladimir Santafé – Niterói
Faça Você Mesmo – Direção: Kelvin Klein – Campos dos Goytacazes
Big Bang do Gênesis – Direção: Cleubert Choi – Brasília
Protetor – Direção: Cleuberth Choi – Brasília
Solo do Silêncio – Direção: Pako Chagas Rocha – Brasília
Chapada – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
A Maldição de Berenice – Diredção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
Pegadas de Zila – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
Trhómos – Direção: Elias Souza Ribeiro – estudante do ISECENSA – Campos dos Goytacazes
O Cortiço – Direção: Reynaldo Machado – estudante do IFF Campus Campos Centro – São Fidélis
Invisível – Direção: Walter Augusto – estudante do IFF Campus Itaperuna
O Pedinte – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
A Noiva – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
Água Com Gás – Direção: Luciana Cavalcante – estudante da FAAT – Atibaia
Cefet – My Generation – Direção: Bruno Fortunato – estudante do IFF Campus Campos Centro
Compra Ouro! Vende Ouro! Quanto Vale a Natureza? – Direção: Caio Medeiros – estudante IFF Campus Macaé
De Catraia – Direção: Damaris Ribeiro – Instituto Quero – Santos
Missão Estelar – Direção: Raphaela Teles – Instituto Querô – Santos
Aloha – Direção: Paula Luana Maia e Nildo Ferreira – Instituto Quero – Santos
Derrubando Reis – Direção: Alice Diniz – Brasília
A Vontade – Direção: Luiz Felipe Berto – estudante da UFRJ – Rio de Janeiro
Seu Arlindo vai à Loucura – Direção: Raoni Reis Novo – estudante UFSC – São Carlos
Lugar Algum – Direção: Raoni Reis Novo – estudante UFSC – São Carlos
Tabuaçu – Direção: Jéssica Felipe – estudante IFF Campus São João da Barra
Lembra-te do Dia de Sábado – Direção: Jéssica Felipe – estudante IFF Campus São João da Barra
Maragado – Direção: Jéssica Felipe – estudantre IFF Campus São João da Barra

segunda-feira, 5 de março de 2012

intervenções poéticas áudio visuais


Programação desta terça 6 de março

Filme nacional: São Bernardo – baseado no livro homônimo de Graciliano Ramos – Direção: Leon Hirsman

Vídeo.Teatro – Minha Dor é Mais Que Uma Dor Cigana – com Ana Tavares, Andréa Moreira Lima, Márcio Vaccari, Juninho Vaccari e Reubes Pess – Oficina Cine.Teatr0 – núcleo de produção áudio visual de Taubaté

Documentário – O Poeta do Castelo – documentário sobre a vida de Manuel Bandeira – Direção: Joaquim Pedro de Andrade

Vídeo.Poesia – Cadê a Língua Que Se Foi? – com Artur Gomes e Celso Borges – filmado em Imperatriz do Maranhão e Cabo Frio – Direção: Alexandre Almeida

Vídeo.Clipes: Los Hermanos, Skank, A Banda Mais Bonita da Cidade, Maria Bethânia e Djavan

Local: Concha Acústica – IFF Campus Campos Centro
Produção: Laboratório de Cinema
Coordenação: Artur Gomes

sexta-feira, 2 de março de 2012

ocupação da concha acústica campus campos centro do IFF



Atenção galera do Campus Campos Centro do IFF a partir de amanhã Sexta Feira 2 de março,  a Concha Acústica passa a ser ocupada em horários surpresa com Intervenções Poética Áudio Visuais.
Vídeo Clipes com o melhor do Rock Nacional e Música Popular Brasileira. Vídeo.Poesia Vídeo.Teatro. Vídeo.Grafia. Vídeo.Cultura de vídeos  produzidos na Oficina Cine Vídeo e Fotografia  do Campus Campos Centro. 

 E de 14 a 16 de Março Mostra de Cinema Curta IFF com vídeo.clipes, vídeo.cultura, vídeo.teatro, vídeo.grafia, e alguns cult do cinema nacional


Programação Para esta Sexta Feira


Vídeo.Tetro - A Incrível Viagem da Família Aço - cia.entreato - Rio de Janeiro
O Homem de Ferro - núcleo de produção áudio visual de Taubaté
A Minha Dor é Mais que Uma Dor Cigana - núcleo de produção áudio visual de Taubaté


Vídeo.Clipes
Gilberto Gil, Cássia Eller, O Rappa, Maria Rita, Legião Urbana, Cazuza, Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânia


Vídeo. Poesia - Cadê A  Língua Que Se Foi - com Artur Gomes e Celso Borges - Direção: Alexandre Almeida - Imperatriz Maranhão
De Imperatriz do Maranhão ao Mundaréu do Deus Me Livre - Lilia Diniz - Brasília
Tropicalirismo - Direção: Jiddu Saldanha - Cabo Frio


Cult Nacional - O Poeta do Castelo - documentário de Joaquim Pedro de Andrade sobre o poeta Manuel Bandeira - Rio de Janeiro
Nelson Cavaquinho - documentário: Direção Leon Hirsman


Produção: Laboratório de Cinema do IFF Campus Campos Centro
Coordenação: artur gomes
TVFulinaíma
www.goytacity.blogspot.com
www.youtube.com/tvfulinaima