terça-feira, 30 de agosto de 2011

esfinge



poema de Artur Gomes musicado por Rodrigo Bittencourt que será lançado em CD por Daniela Rauen, com show no Renascença em Porto Alegre dia 1 de outubro

o amor
não e apenas um nome
que anda por sobre a pele

um dia falo letra por letra
no outro calo fome por fome
é que a flor da minha pele
consome a pele do meu nome

cravado espinho na chaga
como marca cicatriz
eu sou ator ela esfinge
ana alice/beatriz

assim vivemos cantando
fingindo que somos decentes
para esconder o sagrado
em nosso profanos segredos

se um dia falta coragem
a noite sobra do medo

na sombra da tatuagem
sinal enfim permanente
ficou pregando uma peça
em nosso passado presente

o nome tem seus mistérios
que se escondem sob panos

o sol e claro quando não chove
o sal e bom quando de leve
para adoçar desenganos
na língua na boca na neve

o mar que vai e vem
não tem volta

o amor é a coisa mais torta
que mora lá dentro de mim
teu céu da boca e a porta
onde o poema não tem fim

artur gomes
http://juras-secretas.blogspot.com/

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

congresso brasileiro de peosia


conexões urbanas – a cidade e a periferia

fotos - artur gomes

 Neste próximo sábado o projeto conexões urbanas do Sesc Rio realizado pela unidade de Campos dos Goytacazes estará se despedindo do Cieps Wilson Batista no Parque Guarus e nos outros sábados do mês de setembro estará sendo realizado no Cieps Clóvis Tavares no Parque Leopoldina.

fulinaíma produções & eventos
artur gomes
(22)9815-1266

sábado, 27 de agosto de 2011

cidade nua

andar
na periferia do teu corpo
cidade nua
trafegar por tuas ruas
caminhar tuas estradas
me enfiar em tuas curvas
se as flores do mal-me-quer
enfrentar a tua reta
re-inventar a pessoa
comer a tua carne
lamber a tua língua
beber o leite dos teus seios
lambuzar teu sexo
quando estiver no cio
soltar pipas ao vento
e tudo mais que re-invento
e quero mais a carnavalha
muito mais a coisa toda
e a moral tropinicalha
eu quero mais é que se foda

arturgomes

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

cinema possível no festival de esquetes em cabo frio


FESQ, Festival de Esquetes de Cabo Frio, um dos mais importantes eventos de teatro da Região dos Lagos, RJ, terá uma mostra especial dos filmes do projeto Cinema Possível. Momento de consagração para nós que vamos ter uma grande profusão de público durante 5 dias consecutivos. Preparamos uma programação especial, mostrando de forma livre filmes que registram momentos e tendências do projeto, desde 2007.

VEJA A PROGRAMAÇÃO E DIVIRTA-SE

Dia 23
Haicais de Jiddu Saldanha – Fotos de Rodrigo Mexas
Duração: 00: 01:33
Urubu: Inspirado na Obra de Dalmo Saraiva
Duração: 00:01:30
Fluxus: Inspirado na obra de Cristiane Grando
Duração: 00:0 5:51

Dia 24
17 Haigas: Hicais de Jiddu Saldanha / Fotos de Alexandra Arakawa
Duração: 00:02:33
Mario Faustino por Artur Gomes
Duração: 00:02:13
Lugar X – Inspirado na obra de Caio Fernando Abreu
Duração: 00:03:05
Universo Caio. Inspirado na obra de Caio Fernando Abreu
Duração: 00:04:00

Dia 25
Palimpsesto: Jiddu Saldanha, Alexandra Arakawa e RafaelMannheimer
Duração: 00:00:59’
BRISA – inspirado na obra de Artur Gomes, Jorge Ventura e Airton Ortis
Duração: 00:08:37

Dia 26
Filmes Promocionais sobre Hayan Rúbia, poeta que está sendo biografada pelo projeto Cinem Possível.
Teaser oficial
Duração: 00:01:30
Amigos na grama.
Duração: 00:01:13
Depoimento de José Facury
Duração: 00:00:45
Depoimento da Filha de Hayan Rúbia
Duração : 00:01:13
Revolução Mínima – Videoclipe oficial do filme.
Duração: 00:04:25
Simulação com a Dublê do filme
Duração: 00:00:45

Dia 27
Haicais de Jiddu e Chris Herrman fotos de Tchello d’Barros
Duração: 00:02:42
Sou 100 – Inspirado na obra de Carlos Gurgel
Duração: 00:02:59
Do Crepúsculo ao Outro Dia – Inspirado na obra de Jiddu Saldanha e Herbert Emanuel.
Duração: 00:05:51

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

zoomin 26 de agosto


a guerra do homem


O Cine ABI, em parceria com o Cineclube da Casa da América Latina

Apresentam:

A Guerra de um Homem

Direção de Sérgio Toledo - 1991
Documentário 101 min.

25/08/2011
quinta-feira
a partir das 18h30

na ABI
(Associação Brasileira de Imprensa)
Rua Araújo Porto Alegre, 71 - 7° andar
Centro (próx. ao metrô Cinelândia)

Sinopse:

O filme se baseia na história real de Joel Filartiga, o famoso médico e
ativista paraguaio que tentou chamar a atenção do mundo para o
desrespeito aos direitos humanos no Paraguai. Sem meias palavras ou disfarces do tipo "rodado em algum país da América do Sul" o drama (uma produção inglesa para TV) anuncia explicitamente que se trata da história da luta contra uma ditadura de direita no Paraguai - a do General Alfredo Stroessner - representado aqui por Anthony Hopkins. Apesar de contar com direção brasileira e a atriz premiada em Cannes Fernanda Torres, este filme ainda é inédito nos cinemas/televisão do Brasil. Após a exibição do filme, haverá debate.

Serão concedidos certificados aos participantes.

Os 25 primeiros que chegarem terão direito a pipoca e guaraná grátis*!
cortesia: Sindipetro-RJ
apoio: ABI Associação Brasileira de Imprensa
realização: Casa da América Latina

Visite a nossa página!:
www.casadaamericalatina.org.br


como se fosse o trigo


foto: helô landin

eu quero cada fio
de cabelo do teu corpo
enrolado entre meus dedos
e tua língua brincando de medusa
quando vem e me lambuza
na saliva do teu céu da boca
eu não te quero santa
eu te quero insaciável louca
de amor de fome e sede
e que coma do meu corpo
como se comesse poesia
assim como se fosse o trigo
do teu pão de cada dia

arturgomes

sábado, 20 de agosto de 2011

Black Billy



ela tinha um jeito gal
fatal – vapor barato
toda vez que me trepava as unhas
como um gato
cantar era seu dom
chegava a dominar a voz
feito cigarra cigana ébria
vomitando doses dos eu cnto
uma vez só subiu ao palco
estrela no hotel das prateleiras
companheira de ratos
na pele de insetos
praticando a luz incerta
no auge do apogeu
a morte não é muito mais
que um plug elétrico
um grito de guitarra uma centelha
logo assim que ela começa
algo se espelha
na carne inicial de quem morreu



Jazz Free Som Balaio
Para Moacy Cirne
gravada no CD fulinaíma sax blues poesia

ouvidos negros Miles trumpete nos tímpanos
era uma criança forte como uma bola de gude
era uma criança mole como uma gosma de grude
tanto faz quem tanto não me fez
era uma ant/Versão de blues
nalguma nigth noite uma só vez

ouvidos black rumo premeditando o breque
sampa midnigth ou aversão de Brooklin
não pense aliterações em doses múltiplas
pense sinfonia em rimas raras
assim quando desperta do massificado
ouvidos vais ficando dançarina cara
ao Ter-te Arte nobre  minha musa Odara

ao toque dos tambores ecos sub/urbanos
elétricos negróides urbanóides gente
galáxias relances luzes sumos prato
delícias de iguarias que algum Deus consente
aos gênios dos infernos
que ardem gemem Arte
misturas de comboios das tribos mais distantes
de múltiplas metades juntas numa parte

Artur Gomes


Fulinaíma Produções
poeta.ator.vídeo.maker
 (22)9815-1266

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

muito prazer meu nome é poesia

                                                     arturgomes-fotografia.blogspot.com


agora que as palavras escorrem entre meus dedos e provocam ainda mais teus medos foto grafo folhas semi-mortas e essa coisa torta que me corta feito faca deixo ferir deixo sangrar deixo matar o amor que por acaso me cortou sem saber o bem que me fez e quis fosse ao menos pelo prazer deste poema que agora fiz

arturgomes

sesc campos - todas as tribus


terça-feira, 16 de agosto de 2011

sesc campos - ação cultrural


artur gomes poesia in concert



Artur Gomes Poesia In Concert
Dia 26 de agosto – 20:00h – Palácio da Cultura
Campos dos Goytacazes – Rio de Janeiro – Brasil
Espetáculo poético multi mídia onde além de interpretar a sua própria poesia, Artur Gomes interpreta fragmentos de poemas de Torquato neto e Paulo Leminski

Participação Especial: Matheus Nicolau

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mais uma vez o filme sérvio foi proibido de exibição.


 Não está em discussão o que seria arte ou não. Não está em discussão a questão do que seria a arte; de onde ela vem ou como ou para que. Não está em discussão a questão se seria a arte popular, alta ou de massa. Não está em discussão a qualidade ou os artifícios utilizados para uma produção artística para atingir um, ou o, público. A arte não está em discussão.

Não está em discussão o atrelamento do acesso à cultura, quer dizer, à arte, estar enquadrado em regulamentações políticas e/ou econômicas. Não está em discussão a liberdade ou direto das pessoas de terem livre-arbítrio sobre suas próprias opções. Não está em discussão a capacidade de discernimento da população. Não está em discussão um estado paternalista por interesse e necessidade política e por conveniência e comodismo das pessoas. A política não está em discussão.

Não estão em discussão os mecanismo que ainda permitem atitudes e posturas intransigentes. Não está em discussão o totalitarismo ideológico de intolerância às posturas divergentes. Não está em discussão a permissiva liberdade para a coerção religiosa em um estado supostamente laico e democrático. Não está em discussão a imaturidade cognitiva de não se apresentar um diálogo para com o que é adverso; como uma criança que antes de aprender a verbalizar utiliza a boca para morder. Não está em discussão a hipocrisia de atitudes unilaterais e totalitárias. Não está em discussão que violência gera violência, e intransigência gera intransigência. As mentalidades e ideologias não estão em discussão.

Não está em discussão a sociedade onde as relações estão baseadas no poder. Não está em discussão que a força age sobre outra força e assim a reconhece. Não está em discussão que a negação do outro, em qualquer estância, é a negação de si mesmo; ou a permissão para isto. Não está em discussão a beligerância das relações quando as vidraças querem ser pedras. A filosofia e a psicologia não estão em discussão.

Não está em discussão a cultura política nacional, morta-viva de tantas ditaduras, de proibições. Não está em discussão a cultura nacional de eleger plataformas baseadas em proibições e não em realizações. Não está em discussão o direito de audição. Não está em discussão o direito de visão.

Não está em discussão nada além da indignação. Não está em discussão nada que reconheça os mecanismos e instrumentos que possam possibilitar tais atos.
Nós, não estamos em discussão.


marcelo nietzsche

"gelo liso
um paraíso
para quem souber dançar"
        f.w. nietzsche

sábado, 13 de agosto de 2011

Parceiro do DF mostra sofrimento de passageiros de ônibus em Planaltina


Por Tatyana Luz
O que tenho a dizer é apenas: até quando continuaremos sofrendo com isso? Quando o GDF tomará uma atitude? Por que depois de todos os relatos de humilhação, falta de respeito com a população, o pessoal da Coopatram está voltando a circular como se nada houvesse acontecido? 

Esses governos, a partidocracia faz o que quer com a sociedade e recebem como prêmio a impunidade? Esta é a nossa situação: humilhação cotidiana, direito de ir e vir violado, respeito, cidadania apenas em época eleitoral...

 Parceiro do DF mostra sofrimento de passageiros de ônibus em Planaltina


Moradores de três localidades só viajam sentados quando saem da rodoviária.

DFtrans diz que empresa que circula na região teve ônibus apreendidos.
A dupla Parceiro do DF Natália Valarini e Léo Ricardo acompanhou o desconforto dos moradores de três bairros de Planaltina nas viagens de ônibus até o Plano Piloto, que fica a 38 quilômetros de distância.

Para viajar sentado, uma das poucas opções dos moradores de Buritis, Jardim Roriz e Arapoanga é apanhar bem cedo os ônibus na rodoviária de Planaltina, onde os coletivos passam con intervalos de uma hora.

A dupla viajou em uma das linhas e constatou as dificuldades. Muitos passageiros viajam horas de pé. "Se eu não pegar aqui na rodoviária, eu vou até a parada e aí vou de pé até a UnB [Universidade de Brasília] e é muito cansativo", conta uma passageira.

Além disso, os moradores reclamam que são poucos ônibus e, quando eles passam cheios, não param em alguns pontos.

No mês passado, 80 ônibus da empresa Coopatran, que atende Planaltina, foram apreendidos por falta de pagamento do financiamento feito com o Banco de Brasília (BRB). Até agora, o governo só conseguiu remanejar 70 ônibus para essas cidades.



federico baudelaire - brasília urgente


federico  baudelaire – brasília urgente – ontem estive com o Fred Maia na Feira da Torre da TV, ele me levou para conhecer o artesanato nordestino, fomos recebidos pela baiana rainha do acarajé, e entre um quitute e outro, algumas louras geladas, Fred me contava da surpresa de ver Hayan tão jovem e gostosa, afirmando ele que ela está bem mais enxuta que Vera Fischer e Carolina Dickman, e muito mais linda até que a mulher do Vice.

Mas o  aparecimento repentino de Regina Red Blue, dizendo-se ex companheira de Hayan me inquietava, pois até então na havíamos encontrado nenhum registro de qualquer relação entre as duas. Ana Alice de Bento, me informava por fax, que lá também nos Alpharrabios da câmara municipal nada foi encontrado a esse respeito. Convidei o Fred e fomos até a UNB no curso de pós graduação em linguagens corporais ver se encontrávamos algo que comprovasse a relação, ma encontramos só o poeminha abaixo:

No Partidão
Sou partida
PC do B
A entrada
Se alguma coisa
Me acontecer na vida
Me procure
No final
Dessa estrada

Hayan Rúbia
Abril/88

Outra coisa que me deixou ainda mais surpreso foi o twitter do Marcio Vaccari dizendo-me ter Hayan passado pelo Vale do Paraíba, na década de 80, onde realizou performance orgásticas, na academia vale paraibana de letras, todas filmadas em Super 8. Ana em sua última postagem revela que contactou um fotógrafa que está investigando se realmente ela dirigiu oficina de linguagens corporais par jovens carentes em Bento, entre 91 e 92, anos que provavelmente ela tenha passado pelo Rio Grande em cia de Clemente Padin.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Projeto Matrizes que Fazem gera renda com artesanato afro


A equipe do projeto social Matrizes que Fazem–Geração de Renda , do município fluminense de São Gonçalo, organizou, na última quinta-feira (dia 10), uma mostra do trabalho realizado pelo grupo no primeiro semestre deste ano. O projeto, desenvolvido pelo Egbe Ile Omidaye Ase Obalayo, Povos Tradicionais de Terreiro-Matrizes Africanas, beneficia, até o momento, cerca de 200 pessoas e, até o final do ano, o objetivo é chegar a 375 beneficiados.

Estiveram presentes à mostra o representante regional do Ministério da Cultura no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, André Diniz; e o diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro da Fundação Palmares, Alexandre Reis; além de representantes da Comissão Estadual de Gestores de Cultura ( Comcultura/RJ) e da Secretaria Municipal de Cultura de São Gonçalo. Durante a visita, André Diniz salientou a importância de projetos como este e acrescentou que a Fundação Palmares, vinculada ao Ministério, vem formulando políticas para os povos de terreiro.


Artesanato
O projeto, coordenado pela Iyalorixá Márcia d’Oxum, oferece dez oficinas profissionalizantes: tecelagem, costura, bordado, velas artesanais, bonecas banto, bijuterias, adereços, cerâmica, reutilização de materiais recicláveis e penteado afro. Os temas dos trabalhos são ligados principalmente às tradições e às técnicas afro-brasileiras. O objetivo do grupo é mostrar aos chamados povos do terreiro e à comunidade da região que é possível gerar renda através das tradições da cultura africana . Além das oficinas artesanais, são realizadas oficinas culturais, com aulas de capoeira, dança afro, coral, contos e lendas.


O Matrizes que Fazem é patrocinado pela Petrobras, em parceria com o Sebrae-RJ. Com a orientação dos técnicos do Sebrae , os alunos das oficinas profissionalizantes aprendem a montar seu próprio negócio e a fixar o preço adequado para seus produtos, garantindo o retorno do investimento. Os alunos podem fabricar o artesanato em casa ou nas instalações das próprias oficinas do terreiro. Com prazo previsto de dois anos, o projeto deverá beneficiar 750 pessoas até o final de 2012.


A produção do grupo vem sendo vendida através de feirinhas de artesanato e de encomendas pelo site www.matrizesquefazem.com.br . A intenção da equipe é negociar também espaços de venda no Mercadão de Madureira, na zona norte do Rio.

Instituto Preservarte cria oficina móvel de instrumentos musicais


A oficina móvel de manutenção e reparo de instrumentos musicais do Instituto Preservarte, de João Neiva, no Espírito Santo, visitou na última terça-feira (dia 9) os pontos de cultura Rocinha em Cena Musical, no Rio de Janeiro, e do Cisane, em Nova Iguaçu. Na véspera, a caravana já tinha ido ao Instituto de Educação Artística de Xerém, trabalho social do compositor Zeca Pagodinho.

A coordenadora de Cidadania e Diversidade Cultural da Representação Regional do Ministério da Cultura no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, Valquíria Dias, acompanhou a visita do grupo à Rocinha. A caravana é chefiada pelo coordenador do pontão de cultura do Instituto Preservarte, Renato Casara.


Oficinas
O objetivo das visitas é montar oficinas de manutenção e reparo de instrumentos nos pontos de cultura e outras instituições que desenvolvam trabalhos sociais na área musical. Além disso, o grupo está doando okuleles, instrumentos musicais de quatro cordas, de origem portuguesa, hoje muito comuns na música do Havaí, fabricados pelos alunos da oficina de luteria do pontão de cultura do Instituto Preservarte. Na Rocinha, a caravana doou dois okuleles e ensinou os alunos a tocarem o instrumento. O Cisane e o Instituto de Xerém receberam um okulele cada.


Renato Casara ficou muito satisfeito com a receptividade das instituições visitadas: “Dar estes instrumentos sem esperar retorno causa surpresas muito agradáveis”. Segundo ele, os primeiros resultados da caravana são muito bons.


Nesta viagem a oficina móvel vai visitar pelo menos 15 pontos de cultura ou instituições sociais nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Minas Gerais. O projeto terá duração de três anos e prevê, no primeiro ano, a realização de seis viagens às regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, com a doação de 160 okuleles. No total, a caravana deverá visitar 40 pontos de cultura e outras 40 instituições sociais com trabalhos na área musical.
No segundo e no terceiro anos do projeto, o Preservarte vai oferecer aos alunos das instituições visitadas cursos de manutenção, reparo e fabricação de instrumentos de corda na sua oficina de luteria , no município capixaba de João Neiva.

Copa 2014 - MinC reúne gestores públicos para criar agenda cultural voltada ao Mundial de Futebol

A necessidade de chamar a atenção do governo federal para a infraestrutura dos equipamentos culturais nas cidades onde serão realizados os jogos da Copa do Mundo foi o tema que monopolizou os debates da Mesa Perspectivas para a Cultura em Megaeventos Esportivos da Copa de 2014, realizada na tarde desta quinta-feira (11), dentro da programação do Seminário Intercâmbio de Experiências Culturais em Megaeventos Esportivos. A iniciativa é uma promoção do Ministério da Cultura e um dos seus objetivos é a realização de debates em torno da agenda cultural a ser desenvolvida durante o Mundial de Futebol.


O secretário executivo do Ministério da Cultura,Vitor Ortiz, durante sua explanação, elencou as políticas públicas que devem ser fortalecidas para o bom desempenho da Cultura na programação da Copa do Mundo. Ele integrou a mesa dos debates, juntamente com a economista e urbanista Ana Carla Fonseca Reis, do projeto Cidades Criativas, e do representante do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Frederico Barbosa. Os trabalhos foram coordenados pela diretora de Educação e Comunicação da Secretaria de Políticas Culturais do MinC, Juana Nunes Pereira.


Entre as medidas necessárias, o secretário apontou a necessidade de fortalecimento da infraestrutura dos museus e o revigoramento do Patrimônio Cultural Brasileiro, nas cidades que irão sediar as partidas da Copa.  Para tanto, solicitou empenho das administrações estaduais e municipais no envio de relatórios ao MinC, sobre as necessidades de investimentos na área cultural, em suas regiões, para subsidiar a proposta orçamentária que o ministério irá fazer na disputa dos investimentos que serão disponibilizados para financiar a Copa do Mundo de 2014.
Ele disse que ainda não há definição do aporte de recursos a serem investidos na realização do evento,  mas informou que as fontes de financiamento serão o orçamento do MinC e os dois fóruns de planejamento do Mundial de Futebol:  o Comitê Executivo da Copa 2014 e o Fórum Direito da Cidadania. O secretário vai tentar incluir, no Plano Plurianual da Cultura de 2012, uma proposta orçamentária para a realização dos eventos culturais da Copa do Mundo.


As atividades do seminário seguem nesta sexta-feira (12), com a dinâmica dos grupos de discussão, que vão definir as estratégias de ações a serem desenvolvidas nas cidades-sede da Copa. O seminário está reunindo gestores públicos de cultura, representantes do Comitê Executivo da Copa 2014 e das cidades onde os jogos vão ser realizados.


Imagem do Brasil
O Comitê Executivo da Copa 2014 está solicitando empenho do Ministério da Cultura na divulgação da imagem do Brasil no exterior, durante os jogos do mundial. O secretário Vitor Ortiz disse que a ideia é apoiar as manifestações culturais espontâneas da sociedade brasileira, que costumam ocorrer sempre que há competições como esta. Ele informou, ainda, que o MinC vai trabalhar a imagem do país em outros eventos, preparando para a Copa, tais como a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), que será realizada no Rio de Janeiro, em junho de 2012.


O núcleo da proposta de ação cultural, segundo o secretário,  é transformar a diversidade cultural brasileira em um grande símbolo do país e elaborar uma programação cultural multissetorial para os espaços públicos, além de aproveitar as oportunidades de negócios, geradas pelo megaevento esportivo para otimizar o setor de emprego e renda na área da Cultura.


Leia, também, a seguinte matéria.
(Texto: Patrícia Saldanha, Ascom/MinC)
(Fotos: Lula Lopes, Ascom/MinC)