quinta-feira, 21 de julho de 2011

jura secreta: uma outra

teus olhos azuis de espanto me trazesm deus do mar e da chuva


trago os trilhos que trilhei
as telhas trilhas tralhas e trapos
as vezes  me sinto farrapo
diante do que não posso
transformo o impossível no fato
da argamassa o concreto
falo curto grosso reto
sou curumim carrapato
onça bicho do mato
embarco sempre num trem
mordo tua boca mordo no tato
como a palavra que não vem

arturgomes

Um comentário: